"(…) retratos muito mais vivos, muito mais parecidos com o original do que as próprias fotografias das personagens que representam, desenhou-os êle de um só jacto na pedra litográfica ou no papel autógrafo, entre a meia-noite e as cinco horas da madrugada, em pé à banca, sob a luz crua e mordente do gás, sempre à última hora, febricitante de pressa, escorrendo suor, com a testa e o nariz manchado de prêto pelas dedadas de craião, fumando àvidamente cigarretes, falando sempre, cantando, assobiando ou deitando complacentemente a língua de fora às figuras (…)"

Ramalho Ortigão (sobre Rafael Bordalo Pinheiro), As Farpas, Abril de 1882





Dia Internacional dos Museus
dia 18 maio, 18h30





Ateliers de Pintura de Azulejo
dias 7 e 8 de maio ou 18 e 19 de junho






Nova
Exposição